Região

Descubra esta bucólica vila rodeada por muralhas, o seu casario branco, os seus jardins e o seu património.

Inserido no Parque Natural da Serra de São Mamede, Castelo de Vide está muito próximo de Marvão e Portalegre.

Destacamos a barragem de Póvoas e Meada, as Tapeçarias de Portalegre e os percursos pedestres e cicláveis.

Castelo de Vide.

Conhecida informalmente por “Sintra do Alentejo”, apelido atribuído por D. Pedro V, Castelo de Vide é uma bucólica vila na raia alentejana que, embora agradeça a comparação, tem uma história e um património únicos que justificam que seja conhecida apenas e só pelo seu nome. Inserida no Parque Natural de São Mamede, Castelo de Vide é uma vila pertencente ao distrito de Portalegre, sub-região do Alto Alentejo, e sede de um município com 3121 habitantes (INE, 2021). Está a pouco mais de 10 km de Marvão e a 15 km da fronteira com Espanha.

A sua origem mantém-se obscura, mas sabe-se que a construção das muralhas foi concluída no reinado de D. Afonso IV (século XIV) e que lhe foi atribuída carta de foral em 1512 por D. Manuel I. A vila foi-se desenvolvendo dentro e fora das muralhas nos anos seguintes à atribuição do foral, graças à criação de gado, agricultura e a fiação de lã.

A comunidade judaica foi crescente em Castelo de Vide, conservando-se alguns vestígios da sua presença, nomeadamente a judiaria e a antiga sinagoga. A judiaria é um dos exemplos mais importantes da presença dos judeus em Portugal, remontando ao século XIII, tempo de D. Dinis. Aí, é possível encontrar uma das mais bem preservadas judiarias de Portugal, já há alguns anos incluída num programa de recuperação de edifícios e de revitalização, onde se conserva um dos maiores espólios de arquitetura civil do período gótico.

A partir do século XIX, inicia-se outro período de mudança em Castelo de Vide, com a anexação do município de Póvoa e Meadas extinto por Mouzinho da Silveira, a criação de novas estradas para Marvão e para a estação de caminhos de ferro, inserida na linha que ligava Lisboa a Madrid, e o aumento do turismo, já no século XX, devido à presença de águas minerais abundantes e diversificadas, atividade que ainda hoje se mantém, com o engarrafamento e comercialização da água proveniente da Fonte da Mealhada.

A vila soube conservar o seu património com o passar dos anos, unindo o branco do casario, ao verde dos seus jardins e ao cinza das suas muralhas. O castelo destaca-se na paisagem e surpreende os seus visitantes, por assegurar vistas infinitas pela paisagem alentejana e da estremadura espanhola. Na encosta Norte, entre o Castelo e a Fonte da Vila, uma série de ruas mais estreitas delimitam o núcleo histórico da já referida judiaria.

Outros monumentos que merecem uma visita são a Igreja do Salvador do Mundo, de finais do século XIII, cujo interior está coberto de painéis de azulejos azuis e brancos, a Igreja de São Roque (século XV), a Igreja de Nossa Senhora da Penha, no monte fronteiro a Castelo de Vide e ainda várias antas distribuídas pelo território, algumas das quais classificadas como Monumentos Nacionais.

Perto.

Descubra outros pontos de interesse desta região.

Marvão

Situada no ponto mais alto da Serra de São Mamede, Marvão é uma vila muralhada num monte marcado por encostas muito íngremes, tornando-a num ponto de defesa estratégico. Dentro das muralhas esconde-se um bonito conjunto de arquitetura vernacular alentejana. É possível ainda descobrir arcos góticos, janelas manuelinas e varandas de ferro forjado.

Para além do castelo, recomenda-se a visita à Igreja de Santa Maria (hoje Museu Municipal), Igreja de Santiago, Capela Renascentista do Espírito Santo e Convento de Nossa Senhora da Estrela, já fora das muralhas. Na freguesia de São Salvador da Aramenha, vale a pena visitar as ruínas da cidade romana de Ammaia, as Caleiras da Escusa (antigas minas de cal) e praia fluvial da Portagem.

Foto: Vítor Oliveira

Portalegre

A cidade de Portalegre, capital de distrito e da sub-região do Alto Alentejo, fica situada entre a planície e a montanha, às portas do Parque Natural da Serra de São Mamede, o que lhe confere uma enorme riqueza cultural, paisagística e gastronómica. A urbe desenvolveu-se a partir do século XVI, período em que foi elevada a sede de bispado e à categoria de cidade, o que, em conjunto com o progresso económico decorrente da agricultura, do comércio e da indústria, atraiu várias famílias nobres e burguesas.

A cidade tem uma forte tradição industrial, nomeadamente no setor dos lanifícios, que se desenvolveu principalmente com a instalação da Real Fábrica de Lanifícios, por iniciativa do Marquês de Pombal, no século XVIII. No século seguinte, surgiu a Fábrica Robinson, dedicada à preparação e transformação de cortiça, que hoje continua a ser parte integrante da memória coletiva da cidade e que conserva um valioso espólio de arqueologia industrial.

Para além da Fundação Robinson, recomenda-se a visita ao Museu Municipal, Sé Catedral, Castelo, Casa – Museu José Régio, Museu da Tapeçaria de Portalegre Guy Fino, Centro de Artes do Espectáculo de Portalegre, Mosteiro de São Bernardo e Galeria de São Sebastião.

Parque Natural da Serra de São Mamede

O Parque Natural da Serra de São Mamede (PNSSM) situa-se na serra com o mesmo nome, ocupando uma área de cerca de 56 mil hectares, que compreende os concelhos de Portalegre, Castelo de Vide, Marvão e Arronches. O pico de São Mamede, com 1025 metros, é o ponto mais alto do parque, onde é possível vislumbrar a Serra da Estrela e boa parte da Extremadura espanhola.

Com uma altitude e condições climatéricas particulares, esta região é um Alentejo distinto, que absorve algumas características da Beira Baixa, com a qual se aproxima a norte. Composto por uma fauna e flora diversa, em que se destaca a existência de 14 das 17 espécies de anfíbios identificadas em Portugal, o parque reúne vários pontos de interesse culturais, patrimoniais, gastronómicos e desportivos.

Flora

  • Sobreiro;
  • Carvalho-negral;
  • Azinheira;
  • Erva-pinheira-orvalhada (única planta carnívora portuguesa);
  • Culturas: oliveiras, vinhas, figueiras, cerejeiras, aveleiras, nogueiras e castanheiros, pinheiros e eucaliptos.

Fauna

  • Aves: águia-de-bonelli, grifo, chapins, gavião, bufo-real;
  • Morcego;
  • Mamíferos: lontra, texugo, tourão, doninha, gato-bravo, raposa, lebre, coelho, javali, veado;
  • Anfíbios e répteis: cobra-de-pernas-pentadáctila, lagarto-de-água, sapo-parteiro-ibérico, tritão-de-ventre-laranja, rã-ibérica, cágados.

Foto: Carlos Franco, Natural.pt

Vale a pena conhecer…

Esta é uma região de muitos encantos: natureza, desporto, tradição e autenticidade.

Foto: Vítor Oliveira

Região Barragem de Póvoa e Meadas - A Burguesa - Castelo de Vide

Esta barragem forma a segunda maior albufeira do distrito de Portalegre e situa-se na freguesia com o mesmo nome. É um bom local para observar águas aquáticas como o mergulhão-de-crista, pato-real, garça-real, maçarico e borrelho.

Obra: "Illusory Space", Eduardo Nery.

Foto: Pedro Ribeiro Simões

Região Tapeçarias de Portalegre - A Burguesa - Castelo de Vide

A tapeçaria de Portalegre é uma obra de arte original, única pelas suas qualidades intrínsecas e pela técnica utilizada, totalmente manual, que tem como ponto de partida um original de pintores conhecidos, portugueses ou estrangeiros.

Foto: Foge Comigo!, Natural.pt

Região Percursos - A Burguesa - Castelo de Vide

O Parque Natural da Serra de São Mamede reúne 18 percursos, e um dos quais é uma grande rota (GR41 Castelo de Vide). São percursos pela natureza e pelas aldeias e vilas do parque. Os percursos pedestres têm uma extensão entre 6 e 61 km.

Atividades.

Se pretende uma experiência mais personalizada, consulte as nossas atividades. Com certeza que teremos uma que é a sua cara.

Faça a sua reserva.

Não perca a oportunidade de explorar esta região. Reserve já o seu quarto n'A Burguesa Guesthouse.